7 de abr de 2014

Uma questão de pintura

Beco na Conde de Bonfim, próximo ao Tijuca Tênis Clube: antes e depois.

Muitos edifícios na Tijuca e adjacências sofrem dum mesmo problema: a pichação em suas fachadas. Não se sabe como, mas tem gente realmente talentosa na arte de escalar paredões com o único propósito de borrifar signos enigmáticos e, às vezes, agressivos nesses limites entre o espaço público e a propriedade privada.

No entanto, há também o descaso dos proprietários destes locais afetados que não elaboram nenhum plano de contingência ou de reparo. O prédio em cima da Leader Magazine, por exemplo, na Conde de Bonfim, mantém a sua fachada rabiscada há bem mais de 15 anos. Basta ver imagens antigas do extinto cinema Art-Tijuca para percebermos que as pichações são basicamente as mesmas. Estas, somadas ao encardido das fachadas e à mediocridade estética de alguns edifícios construídos nos anos de 1970, oferecem um aspecto bastante antipático à paisagem urbana da Tijuca.

Apesar disso, há toda uma teoria que discorre sobre o fato de que a pichação, nestes moldes marginalizados como costuma denominar o senso comum, é também um tipo de arte fora dos parâmetros "hegemônicos", digamos assim. E que o grafite, por ser uma forma mais "reconhecível" de significado - afinal, todo mundo supostamente consegue entender melhor um desenho colorido do que um garrancho, certo? -, acaba sendo mais bem visto pois é o que se aproxima melhor do que entendemos como arte.

Este assunto é ainda muito polêmico e esbarra em questões antropológicas e estéticas. Mesmo assim, apesar de respeitar a ideia de que a pichação também é arte e de compreender as motivações de quem se dedica a essa atividade, continuo sendo a favor da "limpeza" das fachadas. Há locais mais adequados para pichação e grafites. A seguir, deixo as minhas sugestões nas seguintes montagens de Photoshop.

Edifício sobre a Leader Magazine, na Conde de Bonfim: antes e depois.

Edifício residencial com entrada pela Rua Pinto de Figueiredo

Um comentário:

Anônimo disse...

DEIXEM as pichações aonde elas estão !! elas são parte da intervenção urbana, parte da cultura ou "contraCultura", assim chamada. Fazem parte do nosso bairro, como redigido no texto acima, podem ser vistas pichações com mais de 15 , 20 anos. Isso não é fazer parte da história?
Desde o início da humanidade, as pessoas são assim, geralmente não aceitam nada que elas não possam compreender, entender. A Arte nem sempre vem para ser compreendida, mais a arte é isso ela interage com as pessoas com as paisagens e dessa mais especificamente com toda urbanização .. ! VIVA A ARTE ! VIVA A ARTE DE EXPRESSÃO !
IC. - Tijuca

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...