7 de mai de 2014

Placa centenária da Rua Sabóia Lima some misteriosamente

O antes e o depois da placa da Sabóia Lima: em cima, abril de
2014, e na parte de baixo, em agosto de 2013.

Quem já percorreu toda a extensão da bucólica Rua Sabóia Lima, nas imediações do Colégio Baptista, sabe que lá em cima localiza-se uma represa do Rio Trapicheiros colada à Praça Hans Klussmann - aquela praça meio quimérica, cheia de animaizinhos de argamassa. É neste local onde, no início do século XX, o então Departamento de Águas e Esgotos, proprietário da área hoje pertencente à CEDAE, instalou a seguinte placa junto aos resquícios do antigo portão da represa:

SENDO PRESIDENTE DA REPUBLICA
O Sr. Dr. FRANCISCO DE PAULA RODRIGUES ALVES
E MINISTRO DA INDÚSTRIA VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS
O Sr. Dr. LAURO SEVERIANO MÜLLER
A INSPECÇÃO GERAL DAS OBRAS PUBLICAS
ASSENTOU ESTE CONTADOR VENTURI NESTE GÊNERO 
INSTALLADO PARA O SERVIÇO DO ABASTECIMENTO D'AGUA
À CAPITAL FEDERAL
28 - 2 - 1906

Tijuca & Floresta. Coleção Bairros do Rio. 
Editora Fraiha, 2000. Página 76. 
Placa que deveria ser patrimônio oficial da cidade, sumiu misteriosamente em meados de março deste ano. Deparei com a sua ausência ao levar um amigo de fora da Tijuca para conhecer este recanto - agradabilíssimo, por sinal -, quando, ao nos aproximarmos da entrada da represa, não havia mais do que um vestígio retangular da mesma. 

Cheguei a perguntar ao guarita da Rua Sabóia Lima se ele sabia sobre o paradeiro da placa, mas recebi uma resposta negativa. Isso foi no dia 6 de abril; passado um mês, retornei à rua para investigar o caso, e mesmo assim ninguém sabe ao certo o que ocorreu.

Neste período, tentei divulgar a gravidade do caso junto ao colunista Ancelmo Góis (do jornal O GLOBO) que, apesar de sua equipe ter me exigido o envio de uma série de documentações e imagens sobre a placa, não deu prosseguimento ao caso tampouco publicou notas a respeito, tanto no jornal impresso como no blog deles. A última notícia que me foi dada é a de que "um morador havia guardado". Por qual razão?

Estes episódios servem para refletirmos como o patrimônio da Tijuca - e da Zona Norte como um todo - é ignorado e, por vezes, desvalorizado. Divulguem nas redes sociais!

O Rio Trapicheiros na Rua Sabóia Lima: pequeno riacho. (Fonte: As Ruas do Rio)

Para ler mais sobre a Rua Sabóia Lima, leia estas crônicas fotográficas publicadas por mim na minha coluna As Ruas do Rio:

Praça Hans Klussmann: o recanto dos bichinhos, As Ruas do Rio (10/08/2013).
Rua Sabóia Lima, Tijuca, As Ruas do Rio (26/08/2013)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...