2 de jul de 2014

O agonizante e venerável America Football Club: demolição à vista?

Sede do America Football Club: degradação das dependências do clube resultou na
suspensão das atividades no local.


“Hei de torcer, torcer, torcer...
Hei de torcer até morrer, morrer, morrer...
Pois a torcida americana é toda assim
A começar por mim
[...]
Campeões de 13, 16 e 22
Tra-la-la
Temos muitas glórias
E surgirão outras depois”


O trecho do hino americano, composto por Lamartine Babo, já não reflete tão bem assim o estado atual do America Football Club – pelo menos o da sua sede, na Rua Campos Sales 118, aqui na Tijuca. Da glória à agonia, o Mecão parece estar dando seus últimos gritos de dor. Porém, no que depender dos tijucanos, americanos e simpatizantes, haverá resistência!

Em nota oficial divulgada pelo site do America ontem, 1º de julho, o presidente Léo Barros Almada suspendeu, por prazo indeterminado, todas as atividades de caráter social que funcionam na Sede com o objetivo de “preservar a integridade física dos associados e frequentadores do clube”.

As razões para tal bombástica decisão estariam justificadas pela falta de verba na manutenção das dependências do clube, visivelmente degradadas e, recentemente, interditadas pelo Corpo de Bombeiros. Além disso, pesou o fato de que a Administração atual estaria muito insatisfeita em ceder lotes da Sede para atividades que nada tinham a ver com a finalidade do clube, sobretudo as ilegais. Há boatos de que um bingo clandestino estaria funcionando ali dentro. 

A notícia tomou um conhecimento maior do público após a publicação do Diário do Rio, em sua página no Facebook, sobre a Assembleia Geral dos sócios que, indignados, teriam votado contra o fechamento da Sede, promovendo, inclusive, um abaixo-assinado que exigia a destituição dos presidentes do Conselho de Administração e do Conselho Deliberativo.

Vista aérea de sede do America, na região da Praça Afonso Pena: localização cobiçada pelo setor
imobiliário e empreiteiras resultou no tombamento do imóvel, em 2012.  (Foto: Agência O Globo/Pedro Kirilos)

No entanto, em outro comunicado oficial do America, foi explicitado que, das 150 assinaturas exigidas para que tal “abaixo-assinado” surtisse efeito (isto é, valor correspondente a 1/5 do número de sócios adimplentes), foram contabilizadas 145 pessoas apenas em meio a “fraudes grosseiras e gritantes” como: duplicidade de firmas, nomes ilegíveis sem qualquer identificação, além da assinatura de sócios inadimplentes.

Em meio à polêmica de que o imóvel centenário do America seja exterminado da Rua Campos Sales para dar espaço a um centro comercial ou a um empreendimento imobiliário – o que seria impossível, neste último caso, já que o prédio é tombado e não pode ter outro uso se não esportivo, recreativo ou lúdico –, Almada afirma que há um grupo de trabalho envolvido na idealização de um novo prédio para a Sede americana no mesmo endereço:

“O Grupo de Trabalho, nessa fase inicial, manteve até o presente momento cinco reuniões com profissionais da área imobiliária, com profundo conhecimento nesse mercado, visando a construção da Nova Sede Social do América. Essas (reuniões) tiveram um único objetivo: tornar vitorioso o projeto (da Nova Sede Social americana), nos padrões mais modernos e confortáveis e de melhor relação custo-benefício para o América Football Club”.

O Conselho Administrativo sublinha que se mantém rígido no seu objetivo de “moralizar” o clube para que, deste modo, possa entregar ao quadro social uma nova sede condizente com as tradições do America e que resguarde o seu patrimônio.

Há controvérsias. 

Um comentário:

Pat Kovacs disse...

Acho um desperdício de espaço, que realmente seria melhor aproveitado se fosse transformado num shopping com opções de lazer, que geraria empregos e daria mais vida à área que está, praticamente, abandonada, o que vai gerar ainda muitos inconvenientes, como assaltos e cracolândia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...