25 de ago de 2014

O bucolismo em meio à Conde de Bonfim

A Tijuca é mesmo um bairro de surpresas. Caótico em virtude do progresso e da verticalização acentuada, este ainda resguarda certas paisagens e detalhes capazes de deixar atônito qualquer turista ou pedestre desatento. Um bueiro histórico, o detalhe arquitetônico de renome, os trilhos do bonde sufocados pela camada espessa de asfalto, um panorama mais bucólico em meio à urbe: a Tijuca é mestre em surpresas. Veja este vídeo, por exemplo:



À primeira vista, poderíamos supor que tal cenário corresponderia a qualquer cantinho verdejante, de natureza pulsante, do Alto da Boa Vista. Uma corrente d'água assim, tão limpinha, não combina nem um pouco com o espírito pra lá de babélico da Rua Conde de Bonfim. Pois é, esse trecho do Rio Maracanã, que desce o Alto e perpassa a Conde de Bonfim rumo à Avenida Maracanã, é um oásis de tranquilidade na Usina, por onde estava passeando e gravei esse vídeo.

Por ali, na altura do número 1328, há uma mureta no lado par da calçada que divide o rio em relação às pistas da Conde de Bonfim e, por conseguinte, ao outro lado da calçada, dotado de condomínios e prédios modernistas, como esse em evidência. Adorável...

24 de ago de 2014

Bike Rio chega à Tijuca

A nova estação do Bike Rio, no canteiro central da Avenida Maracanã junto à Varnhagen:
sustentada por energia solar.

Com três anos de atraso, o sistema de bicicletas laranjinhas do Itaú, conhecido como Bike Rio, está finalmente chegando à Tijuca e arredores desde meados deste mês de agosto, quando o tijucano já pôde avistar algumas de suas novas estações sendo implantadas na Praça Varnhagen (180) e no Largo da Segunda-Feira (177) - as únicas estações até agora em operação, ou seja, já disponíveis para uso.

Detalhe da estação 180 (Varnhagen)
O Bike Rio surgiu em meados de 2011 apenas na parte turística da cidade, expandindo-se posteriormente para outras localidades da zona sul até alcançar o Centro - que, há cerca de 3 meses, foi contemplado por um número expressivo de novas estações - e o Parque Madureira, a única área isolada desta grande região atendida pelo sistema. Aqui na Tijuca, a estação mais próxima até então era a de número 174, localizada no Largo do Estácio.

Quando falo que o Bike Rio chegou com atraso à Tijuca e arredores deve-se ao fato de que foi precisamente em meados de 2011 e início de 2012 que ganhamos nossas primeiras ciclofaixas nas ruas Barão de Mesquita e Major Ávila, conectadas ao Estádio do Maracanã, além de outras do mesmo porte em Vila Isabel e no Grajaú. Isto é, na mesma época em que o Bike Rio foi implementado na cidade.

O Bike Rio será uma "mão na roda" para o tijucano se deslocar pelo seu bairro; afinal, a Tijuca, por ser extensa, é quase uma mini-cidade dentro do Rio. Isso sem levar em consideração os bairros contíguos como Vila Isabel, Grajaú e Maracanã, tão populosos e densamente ocupados como a Tijuca. É por essa razão que a Grande Tijuca merece um sistema de transporte alternativo como esse, que facilite a locomoção de seus moradores dentro da própria região; no fim de contas, entre essas vizinhanças, as distâncias são pequenas e seus caminhos têm grande rotatividade por a Tijuca ser um grande centro econômico e de serviços na área. 

Muito embora o mapa da estação 180 na Praça Varnhagen assinale que a Tijuca será contemplada com mais duas estações na Praça Xavier de Brito (188) e no Metrô Uruguai (185) - além da estação Maracanã Norte (197), junto ao estádio -, foram licitadas em 2013 um total de 26 estações do Bike Rio entre Tijuca e Vila Isabel, segundo a página Os Ciclanos:

TIJUCA (16 estações)
175 - Metrô Estácio
176 - Rua Dr. Satamini / Rua do Matoso
177 - Largo da Segunda-Feira
178 - Afonso Pena
179 - Colégio Militar
180 - Praça Varnhagen
181 - Heitor Beltrão
182 - Praça Saenz Peña
183 - Shopping Tijuca
184 - Praça São Charbel / EXTRA Maracanã
185 - Metrô Uruguai
186 - SESC Tijuca
187 - Oi Futuro
188 - Praça Xavier de Brito
189 - Praça Pinheiro Guimarães (Hospital da Ordem Terceira)
190 - Largo São Camilo (Usina)

VILA ISABEL/MARACANÃ (10 Estações)
191 - Shopping Iguatemi - rua Barão de São Francisco
192 - Praça Barão de Drummond
193 - Boulevard 28 de Setembro / Rua Souza Franco
194 - UERJ
195 - Maracanã
196 - Maracanã Sul
197 - Maracanã Norte
198 - Estádio Célio de Barros
199 - Praça Niterói
200 - EXTRA Boulevard

12 de ago de 2014

Obras que não acabam no piscinão da Praça da Bandeira


A Praça da Bandeira, digníssimo (e alagadiço) logradouro tijucano que dá as boas-vindas à Zona Norte e, mais adiante, aos subúrbios, encontra-se assim, nesse estado, como se fosse um areal há mais de dois anos. As obras intermináveis do reservatório (vulgo piscinão), que promete acabar com as enchentes no bairro, exterminaram a arborização da Praça da Bandeira, que dispunha de lindos abricós-de-macaco.

As outras duas vítimas são a Praça Varnhagen e a Praça Niterói, na Tijuca e no Maracanã, respectivamente. Não há previsão de devolução das praças à população. Enquanto isso, partes do nosso bairro continuarão dessa maneira, cinza e sem vida. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...