31 de out de 2014

Os nomes originais (ou antigos) de ruas da Praça da Bandeira, Tijuca e Alto

Avenida Edson Passos, na subida para o Alto da Boa Vista: até os anos 1950 foi chamada de Avenida Tijuca

Você sabia que a Praça Afonso Pena (que, na verdade, se chama Castilhos França), até o ano de 1931, tinha o nome de Praça do Hipódromo Nacional? Ou que a Rua Marquês de Valença, originalmente, chamava-se Rua Almirante Barroso, tal qual a avenida do Centro do Rio? E a Praça Comandante Xavier de Brito, a nossa praça dos cavalinhos, veja só, foi conhecida até os anos 1930 como Praça Washington Luiz!

Essas e muitas outras curiosidades sobre nomes originais de ruas eu encontrei no livro "As Ruas do Rio", lançado pela Prefeitura do Rio de Janeiro em 1977. O material é de autoria da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Departamento Geral de Edificações), cuja publicação se deu em dois grossos volumes, apresentando informações técnicas de todas as ruas do município separadas por região administrativa. Nessa obra, a lista de ruas e seus nomes originais compreende apenas os decretos de criação publicados de 1917 até 1977.

Separei uma lista de ruas renomeadas pela Prefeitura durante o período mencionado (veja abaixo). Dessa amostra, vale mencionar que, em geral, as ruas tinham nomes com referências indígenas, além de uma ou outra ser designada como Rua "A" ou "B" (suprimi a maioria desses casos, para não tornar enfadonha a leitura), dando a entender que se tratavam de nomenclaturas oriundas dos projetos de engenharia e urbanismo dos quais esses logradouros derivaram. Outra curiosidade é que tanto a Rua Engenheiro Cavalcanti, na Muda, como a Rua João da Mata, pequena ruela residencial que faz esquina com a Avenida Maracanã, eram chamadas até os anos de 1930 de Rua Coati! Paralelo a isso, ruas estreitas ou pequeninas junto a ruas de maior porte eram normalmente denominadas como travessas que levavam o mesmo nome da rua vizinha. Por exemplo: a simpática Rua Benevenuto Berna (nos arredores da São Francisco Xavier) era conhecida como Travessa Lúcio de Mendonça por ser transversal à Rua Lúcio de Mendonça. Atualmente, ainda existem casos parecidos, como o da Rua José Higino e a sua Travessa José Higino. Cabe lembrar que a obra de Lili Rose e Nelson Aguiar, "Tijuca: de rua em rua" (Editora Rio, 2004), também é um ótimo material de pesquisa.

Vejamos, então, o que extraí desta enciclopédia da Prefeitura. O ano em parênteses se refere à publicação do decreto que oficializou a rua, e, em colchetes, a localização específica da mesma, para aquelas não tão conhecidas:

Rua Adolfo Mota (1925) [rua do Hospital Prontobaby]: antiga Travessa Edite.
Rua Almirante Cochrane (1922): antigo prolongamento da Rua Mariz e Barros.
Rua Amado Nervo (1946) [próxima à Praça Afonso Viseu, no Alto]: antiga Travessa da Boa Vista.
Rua Ângelo Agostini (1929) [entre a Bom Pastor e Henrique Fleiuss]: antiga Rua "A".
Rua Antônio Rello Filho (1969) [situada no final da Delgado de Carvalho, perto da Barão de Itapagipe]: antiga Rua Professor Vital Brasil.
Rua Basiléia (1966) [transversal à Conde de Bonfim, na Usina]: antiga Rua Canapó.
Rua Benevenuto Berna (1953) [cruza a São Francisco Xavier]: antiga Travessa Lúcio de Mendonça.
Rua Carlos Vasconcelos (1923): antiga Rua Santo Henrique.
Rua Caetano de Campos (1937) [entre a Usina e o Alto]: conhecida por Estrada das Mangueiras.
Rua Carmela Dutra (1947): antiga Rua Piratini.
Praça Castilhos França (1931) [nome oficial da Praça Afonso Pena]: antiga Praça do Hipódromo Nacional.
Rua Clóvis Bevilaqua (1922): antiga Rua Antônio dos Santos.
Praça Comandante Xavier de Brito (1930) [a praça dos cavalinhos!]: antiga Praça Washington Luiz.
Rua Coronel Aristarco Pessoa (1951) [fica na Usina]: antiga Rua Itapira.
Rua Delgado de Carvalho (1917): antiga Rua Industrial.
Rua Deputado Soares Filho (1952): antiga Rua Universidade.
Rua Doutor Aníbal Moreira (1955) [rua vizinha à José Higino]: antiga Rua Jataí.
Rua Doutor Otávio Kelly (1928) [na Muda, margeia a Praça Xavier de Brito]: antiga Rua Trinta de Abril.
Avenida Edson Passos (1954) [a avenida que sobe e desce o Alto]: antiga Avenida Tijuca.

Praça Afonso Pena, no início da Tijuca: também já foi chamada de Praça do Hipódromo Nacional

Rua Embaixador Ramon Carcano (1956) [quase na Usina, em frente ao Hospital da Ordem Terceira]: antiga Rua Paratari.
Rua Engenheiro Cavalcanti (1935) [corta a Conde de Bonfim, na Muda]: antiga Rua Coati.
Travessa Frei Rogério (1951) [junto a Rua Pareto]: antiga Travessa Pareto.
Rua General Espírito Santo Cardoso (1953): antiga Rua da Gratidão.
Rua Goulart (1946) [próximo ao Morro do Salgueiro]: antiga Travessa dos Araújos.
Rua Jiquibá (1945) [na Praça da Bandeira]: antiga Travessa Senador Furtado.
Rua João Alfredo (1917) [na Muda]: antiga Rua 28 de Setembro.
Rua João da Mata (1931) [perto da Zé Higino, na Avenida Maracanã]: antiga Rua Coati,
Rua Joaquim Pizarro (1955) [na Barão de Itapagipe, quase Rio Comprido]: antiga Rua Conde Pereira Carneiro.
Rua dos Junquilhos (1947) [próxima ao Morro do Salgueiro]: antes conhecida como Rua do Encanamento.
Rua Livreiro Francisco Alves (1955) [quase na Usina, em frente ao Hospital da Ordem Terceira]: antiga Rua Uaçari.
Rua Mariz e Barros (ano de criação foi 1874, mas o decreto só veio em 1917): antiga Rua Nova do Imperador.
Rua Max Fleiuss (1955) [junto à Rua São Miguel]: antiga Rua Pucuruí.
Avenida Melo Matos (1926): antiga Avenida Onze de Novembro.
Avenida Osvaldo Aranha (1960): antiga Avenida Radial Oeste.
Travessa Padre Damião (1948) [em frente ao TTC]: antes conhecida como Rua Particular.
Rua Padre Elias Gorayeb (1961): antiga Rua Vinte e Quatro de Outubro.
Rua Palmira Gonçalves Maia (1950) [na Muda]: antiga Rua Membi.
Rua Pará (1917) [na Praça da Bandeira]: antiga Rua Santa Luiza.
Rua Pinheiro da Cunha (1949) [na Usina]: antiga Rua Geribatu.
Rua Raimundo Castro Maia (1946) [no Alto da Boa Vista]: antiga Rua Itapuá.
Rua Sabóia Lima (1930): antiga Rua Trapicheiro.

2 comentários:

CDP disse...

Contribuição. A Av. Tijuca foi construida basicamente sobre a Estrada Nova da Tijuca. Em alguns trechos ela se afastou um pouco apenas para retificar o trajeto. Em dois outros trechos ela se afastou totalmente e os trechos abandonados passaram a ser considerados ruas separadas.
As atuais Rua Muçu e Rua Raimundo Castro Maia são trechos da Estrada Nova da Tijuca que foram desprezados quando da construção da Av. Tijuca.
Consulte a planta da cidade de 1931 (creio que é esse o ano) e verá esse traçado antigo.
Parabéns e obrigado pelo seu trabalho.

Samira disse...

Belo trabalho este de pesquisa. Sou moradora da rua Deputado Soares Filho, na Tijuca e, há pouco, conversando com uma vizinha no elevador, ela, que mora aqui há mais de 40 anos, me contou que essa rua tinha outro nome, que ela não lembrava. Como sou apaixonada pelo Rio antigo, a primeira coisa que fiz foi checar o nome antigo da Deputado Soares Filho. E graças a este site, descobri e vou refrescar a memória da minha vizinha: era rua Universidade. Parabéns por esse trabalho raro de manter viva a história, seja ela qual for.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...